10 Annonces qui ont marqué ma vie

Stella Artois – Ice Skating Priests

A cerveja com o posicionamento mais snob do mercado inglês – Reassuringly Expensive – sempre criou anúncios de televisão fantásticos, com um imaginário de marca próprio, onde o humor caminha de mãos dadas com o bom gosto.

Cerveja é um produto simples, produzida com três ingredientes. Mas, a Stella Artois nunca foi uma marca de cerveja simplista.

O pecado e o fruto proibido são referências óbvias nesta ideia, demonstrando que nem os mais castos conseguem resistir a uma boa Stella Artois. Gelada de preferência.

Este anúncio foi dirigido pelo talentoso realizador inglês Jonathan Glazer, com um casting irrepreensível e uma música magistral que pontua cada momento da ação.

Filmado a preto e branco, é um dos mais coloridos anúncios de cerveja de sempre. Um brinde às boas ideias.

Sony Balls

Uma boa ideia é sempre simples. E este script não podia ser mais simples:


“Ao som de uma música emocionante, vemos 250 000 bolas coloridas saltitantes a descer uma rua inclinada em slow motion.
Entra assinatura: Color like no other.”

Uma ideia do famoso criativo argentino Juan Cabral da Fallon Londres, sublinhada pela música do José González, numa realização onde as imagens poéticas e os pequenos pormenores fazem toda a diferença.

Dumb Ways to Die

A prevenção de acidentes é sempre um tema chato, em que a maior parte dos consumidores desliga ao fim de cinco segundos de conversa.

Muitas campanhas com este briefing passam imagens de acidentes e têm um tom dramático.

Esta ideia é exatamente o oposto. O velho truque publicitário do jingle, com uma animação divertida que passa a mensagem pela positiva e fica na cabeça.

O melhor é ver e ouvir. Garanto que vai ficar com a letra na cabeça.

Nike – Find Your Greatness

Depois de anos a mostrar imagens de famosos desportistas a exceder os limites com a inesquecível assinatura “Just do it”, a Nike sentiu que era o momento de mudar a sua estratégia – ser mais humana, menos super-herói.

Encontrar a grandeza na fraqueza dos que compram uns ténis Nike para começar a sua longa caminhada desportiva.

Um filme de plano único, com um texto brilhante, narrado por uma voz forte e que pontua cada detalhe das palavras na medida certa.

Um exercício de boa publicidade.

Air France – L ́Envol

A publicidade gaulesa sempre nos habituou à elegância, ao “Allure” como dizem os franceses.

A companhia aérea de bandeira não podia deixar de ser um exemplo disso mesmo.

Durante anos, a Air France usou uma das mais brilhantes frases da comunicação na aviação comercial “Faire du ciel le plus bel endroit de la terre”.

Uma assinatura posicionamento que ganhou asas neste filme.

Uma das artes clássicas – a dança – aliada à música de Mozart, que resulta numa autêntica peça de sétima arte.

E vejam o making off, onde percebemos que uma grande ideia pode ficar ainda melhor com uma boa produção.

Honda – Cog

Um anúncio automóvel sem carros a alta velocidade numa estrada panorâmica? Isso é outra Honda (perdoem o trocadilho).

Esta marca sempre andou contra corrente. E este filme é o exemplo disso mesmo.

Criado pela Wieden + Kennedy, ganhou Ouro no Festival de Cannes e foi uma lição de planeamento estratégico.

Uma vez, ouvi o estratega que escreveu o briefing deste anúncio. Depois de muito pensar, ele chegou a um dos mais brilhantes insights que já ouvi, passado aos criativos responsáveis por esta campanha de lançamento do automóvel topo de gama mais tecnológico da marca Honda: o Accord.

Reza a história, que na reunião de briefing o estratega disse: “Este filme deve passar a mesma sensação que tenho ao carregar no botão eject do leitor de CD’s”.

Carregue no play agora para ver.

Leica – “100”

Quando o produto é bom, a marca fica sempre bem na fotografia. No caso da Leica, isto é uma verdade irrefutável.

A marca que inventou a fotografia e a estética da imagem moderna, queria lembrar isso mesmo no seu centésimo aniversário.

Passou o briefing a uma das melhores agências de publicidade brasileiras – a F/Nazca – que criou uma ideia memorável: uma viagem pelas mais marcantes fotografias da história.

Um anúncio onde a palavra tem destaque, com um texto muito bem escrito e uma locução magistral. Aliada, como não podia deixar de ser, a imagens fantásticas que ganham vida numa realização talentosa.

Uma obra de arte, que ganhou o primeiro Grand Prix em filme para uma agência brasileira.

Audi “Clowns”

Até o mais calmo dos condutores, já chamou palhaço a alguém no meio do trânsito.

É deste insight poderoso que nasceu uma ideia ainda mais poderosa para a potente marca automóvel Audi.

Este anúncio demonstra todos os sistemas de ajuda à condução que a Audi desenvolveu, recorrendo à tecnologia do clássico humor britânico.

Criado pela agência BBH, tem uma música que encaixa na perfeição com a realização. E pormenores únicos que nos conduzem ao longo do filme.

Donate Life – “World`s Biggest Asshole”

Este anúncio é quase uma curta metragem.

Um filme sobre a vida de um anónimo cidadão de uma pequena cidade norte-americana: Coleman Swenney. Ou melhor, sobre a sua morte.

Uma ideia carregada de ironia, onde o revés na intriga da história nos leva a esboçar um sorriso. Uma lição de vida para uma causa social de vital importância.

Este anúncio foi ainda criado com a estratégia de chegar junto do target millennial, não tendo por isso mesmo o formato de um anúncio clássico de televisão.

Libress – “Blood”

A publicidade a pensos higiénicos é sempre um mundo cor de rosa, com bonitas jovens a saltar sobre nuvens de algodão branco. Ou então, tem um discurso em que tratam as consumidoras por “Meninas!”.

Esta ideia não tem nada disso. Exalta a força das mulheres, o seu empoderamento. É um murro no estômago. E com muito sangue.

A sonorização é perfeita e a música marcante. Põe o dedo na ferida e não deixa ninguém indiferente.

Como um bom anúncio deve ser.

S'ABONNER
PARTAGEZ
Partager sur facebook
Partager sur twitter
Partager sur linkedin

Plus d'articles